Inteligência Emocional

Quero ensinar você como enfrentar as fases de uma crise. O momento que me encontro escrevendo este conteúdo é de uma crise epidêmica, a pandemia do novo coronavírus, que está alastrado no mundo todo. A situação que vivenciamos hoje é de isolamento social. Até aqui, meados de Abril, esta é a única medida para achatar a curva do contágio do vírus porque ainda não temos a vacina.

Agora, estamos em quarentena, estou em casa mantendo meu isolamento, tem poucas nuvens no céu, as ruas estão praticamente vazias e silenciosas, os comércios fechados e as famílias recolhidas. Está tudo impressionantemente quieto. Li no jornal Global Media Group que a metade do planeta está confinada em casa, segundo um balanço avançado da AFT (Agência France Presse) e ainda pode aumentar. Quando a gente ia imaginar que passaríamos por isso?

Situações durante a crise do covid-19

Existe um contexto da crise que estamos vivenciando, que produz vários efeitos colaterais pra gente considerar.
– Mortes;
– Isolamento social forçado;
– Fechamento do comércio;
– Desaquecimento da economia;
– A viralização de manchetes ruins;
– Trabalho home Office;
– Afastamento ou perda do trabalho;
– Suspensão das aulas dos filhos;
– Preocupação com a saúde de entes queridos;
– Baixa receita;
– Endividamento e problemas financeiros
E a lista é grande…

Reações durante a crise do covid-19

Por isso, a crise que estamos passando com o fator de isolamento social traz consigo uma nova epidemia, a psicológica. São consequências psicológicas, comportamentais e até físicas, como:
– Dificuldade de estar longe de pessoas;
– Medo de morrer;
– Medo de perder entes queridos;
– Relacionamentos ruins no ambiente familiar;
– Ansiedade – fator estressor
;
– Estresse – grande vilão de doenças;
– Indisposição;
– Tédio;
– Sentimentos de culpa, frustração e impotência;
– Sensação de improdutividade;
– Irritação e mal humor;
– Agressividade;
– Falta de atenção;
– Problemas de concentração e memória;
– Lentidão e procrastinação de responsabilidades;
– Insônia;
– Sensibilidade aflorada;
– Depressão;
– Distúrbio de Pânico.
E a lista é enorme por que o sistema nervoso começa a ser alterado mediante um cenário de uma crise epidêmica e ainda por cima com o fator de confinamento. E quando nosso sistema nervoso fica em desordem, isso gera doença.

E quanto mais o cenário é incerto, instável, indefinido e imprevisível mais aumenta a ansiedade e notamos que as emoções ficam mais vulneráveis. Mas, a cada crise em nossa história, a humanidade passou por transformações e mudanças. Por mais difícil que seja o período que estamos atravessando, podemos tirar proveito, nos tornando melhores e mais fortalecidos. Isso porque, a crise traz oportunidades e desafios para nosso desenvolvimento. Você pode aprender muito sobre inteligência emocional, lendo outros conteúdos que temos no blog.

Tipos de pessoas em uma crise

Mas, cada pessoa reage de forma diferente a uma crise. Fato é que existem pessoas que estão preparadas e outras não estão para lidar com um problema. Neste sentido, conseguimos identificar três tipos de pessoas numa crise: as reativas, as submissas e as proativas.

Pessoa Reativa – Baixa resiliência. Tem muita dificuldade de enfrentar conjunturas anormais ou de crises emergentes. Tem atitudes de reclamação, pessimismo, impaciência, baixa tolerância, culpa os demais, crítica exagerada, irritação e agressividade as pessoas. Costuma manipular as relações fazendo o outro se sentir culpado ou em dívida com você. Importante aumentar mais flexibilidade à sua vida, sem cobranças exageradas e estar mais aberto a lidar com os problemas de maneira diferente e mais saudável. Procure agradecer e interpretar o lado bom das coisas.

Pessoa Submissa – Baixa resiliência. A pessoas sente-se vítima das circunstâncias, sem autoconfiança, se queixa, pensa negativo, tem sentimentos de culpa, frustração, impotência e medo, desejando até desistir. Acha que é o fim. Também pode interromper planos ou projetos, travando-se. Costuma manipular as relações fazendo o outro sentir pena ou preocupação, querendo que o outro faça no lugar dela. Portanto, essa postura penosa alimenta ainda mais a crise. Então, é importante saber lidar com adversidade, adaptando-se aos imprevistos e as situações novas. Aumente seu poder pessoal, trabalhe a autoestima. Procure ajudar e contribuir.

Pessoa Proativa – Ótima resiliência. Pessoa que tem adaptabilidade, compreensão e flexibilidade pra lidar com situações antagônicas. Se recupera da crise e tira o máximo de proveito, superando seus limites. Contribui e pensa no sistema que está inserida e faz o que é necessário. Por isso, ela trabalha a sua consciência, levando sei estado interno do desespero a esperança. Aumenta seu potencial criativo, ela busca conhecimento, desenvolve mais habilidades e traz soluções para os problemas. Tem foco na solução.

A curva de adaptação na crise

O fato é que é o fim de um mundo, não do mundo. A crise que estamos passando veio para trazer mudanças. Tudo vai mudar a partir de agora e você também precisa mudar. Lembre-se de algo importante, toda mudança é precedida de uma crise. Esta só passará, quando você promove mudanças positivas em você, em sua forma de lidar em cada fase avançando de forma progressiva e nunca regressiva. Mas eu sei que mudar não é fácil, é um processo. Primeiro devemos aceitar que nós temos que mudar.

Mas, todas as pessoas precisam de tempo para aceitar a mudança e incorporá-la em seu dia-a-dia, assimilar os novos conceitos, quebrar paradigmas pessoais e aceitar a nova situação tirando o máximo proveito de seus benefícios. Se não respeitarmos esse tempo, corremos o risco de realizar a “imposição” de uma mudança e não a sua “implementação”, falhando na obtenção dos reais benefícios em sua vida.

Então, saiba que toda crise funciona como um vale, que será preciso atravessar. E, como costumo dizer entre um vale existem montanhas. Ou seja, após a crise, teremos uma escalada. Por isso, quero te convidar a entender o que acontece nesse vale. Lembre-se, é fundamental aceitar a mudança. A crise passa depois de aceitarmos a mudança. Veja na imagem abaixo:

Gráfico

Se você entender que a crise só vem para trazer mudanças e você aceitar, irá sofrer menos e vai sair melhor do que era antes da crise. Segundo Kübler-Ross, essa queda de energia que sentimos após a crise, é um estágio que leva um tempo para aceitar a mudança e em seguida, nossa energia e desempenho aumenta. Mas veja que a curva é menos profunda e dura menos quando se busca ajuda profissional nessa transição. E, no final dela, o ganhos são maiores e melhores.

Por isso, buscar apoio seja com um mentor, coach, líder, amigo, psicólogo, um autor de livro, professor, médico… qualquer rede de apoio que veja que é necessário, vai ser funcional nesse processo. Construa sua rede de aliados neste período de covid-19. Mas continue, não páre seu processo de mudança.

Curva das fases psicológicas na crise

Agora, vamos adentrar nessa curva de adaptação porque quero te convidar a conhecer as fases psicológicas para que possamos mudar a nós mesmos na travessia de uma crise. Veja!

Todos passamos por estas fases até que conseguimos melhorar a nós mesmos em meio a uma crise e assim, percebemos a situação menos crítica quando aceitamos mudar, nos desenvolver. Por mais difícil que possa ser este cenário que estamos vivendo, olhar com esta perspectiva muda tudo.

Já reparou que existem muitas crises e problemas que se repetem? Isso acontece porque ainda o que deveria ser mudado, não mudou. Gosto de ilustrar esse ciclo como no colégio, quando não se está preparado para subir de ano, o aluno repete o ano para aprender o que não aprendeu.

Algumas crises epidêmicas e seu aprendizado

E na história já houve crises epidêmicas, por exemplo, a peste negra em 1347, a gripe espanhola em 1918, que foram desastrosas e mataram milhares de pessoas. E sabemos que após as epidemias existem consequências culturais, científicas, econômicas, políticas, educacionais. Toda crise leva a reações, alterações importantes para a sociedade.

Contudo, após a peste negra, houve o renascimento, após a gripe espanhola houve a preocupação dos governos em relação a saúde e bem estar da população e, principalmente mudanças de consciência, na política, de amadurecimento no desenvolvimento da humanidade.

Quantas coisas estamos aprendendo com esta crise do covid-19, não é mesmo? Amar mais, ser solidário, ser paciente, se aproximar de Deus, orar pelas pessoas, pedir e aceitar ajuda, se cuidar, desacelerar, relaxar, ter mais hábitos de higiene e saúde, conviver melhor com sua família, equilibrar vida pessoal e profissional, saber dialogar, ouvir, filtrar as notícias, ler, estudar, fazer mais amizades, tirar projetos da gaveta, inovar, usar a tecnologia, respeitar a natureza, contemplar, consumir menos, ser mais, ter menos, priorizar o que tem mais valor … e a lista é enorme! Pense nisso.

Fases do desenvolvimento durante a crise do covid-19

Portanto, sabemos que a crise covid-19 vai trazer muita transformação, agora temos a certeza! Vamos resumir as fases psicológicas em três fases que vamos atravessar em nosso desenvolvimento, fase do desconhecimento, do aprendizado e do progresso.

1ª Fase

Desconhecimento. Nesta, sinto medo e desespero porque não sei, não conheço com o que estou lidando. Resisto e nego no começo. Vivo no futuro e foco no problema. Quero controlar, estoco alimentos, medicações que não preciso, sinto raiva e critico com facilidade, reclamo muito. Espalho notícias e encaminho mensagens que nem sei a fonte ou legitimidade. Contagio as pessoas com medo, tensão, raiva e preocupação. Se você se percebe assim, procure aceitar que não controla as questões externas e se pergunte… para quê isso está acontecendo? O que vou aprender com este momento? Quais mudanças posso fazer? Olhe para dentro de você, medite, relaxe, escreva seus pensamentos.

2ª Fase

Aprendizado. Nesta, já consigo dar um passo a frente. Eu entendo que devo aceitar a situação, a entender que não depende exclusivamente de mim, não como uma pessoa acomodada mas sem fazer cobranças exageradas. Entendo que todos estão se esforçando e fazendo o seu melhor. Acolho minhas emoções, respeito e me permito sentir sem ferir os demais. Sou consciente da realidade e planejo como vou agir daqui em diante. Diminuo o consumo do que me faz mal, comida, bebidas, drogas e notícias. Avalio as informações que chegam antes de compartilhar com outras pessoas.

3ª Fase

Progresso. Nesta, eu transcendo. Eu oro pelas pessoas. Penso em como ajudar e ajudo. Vivo no presente e foco na solução. Procuro ajuda se for necessário. Me adapto as mudanças. Sou grato pelo que tenho. Pratico paciência e tolerância com as pessoas. Expresso meu amor pelas pessoas. Sou solidário, disponho meus talentos para servir a quem precisa. Tenho empatia e compreendo o outro lado. Suspendo julgamentos e críticas alheias. Admiro meu próximo. Cuido minhas relações. Me exercito e cuido da minha saúde. Tenho uma rotina e busco produzir. Espalho mensagens de esperança, fé e amor. Cultivo um estado de felicidade e paz.

Portanto, atravessando essas fases, conseguimos ter crescimento pessoal e profissional em meio a crise. Vamos praticar?
Obrigada por estar aqui, é uma alegria dividir conhecimento com que gosta de evoluir. Até o próximo conteúdo!